O prazer sexual é a satisfação física e / ou psicológica que conduz ao gozo. Pode ser derivado de experiências eróticas solitárias ou compartilhadas, incluindo pensamentos, sonhos, fantasias e autoerotismo.

Há, prazer sexual, basicamente, uma conjunção de fatores físicos e emocionais, embora para alguns exista a possibilidade de inserção de elementos transcendentais.

Autodeterminação, consentimento, segurança, privacidade, confiança e a capacidade de se comunicar e negociar relações sexuais são fatores essenciais para que o prazer contribua para a saúde e o bem-estar sexual dos parceiros.

O prazer sexual deve ser exercido no contexto dos direitos sexuais, particularmente os direitos à igualdade e não discriminação, autonomia e integridade corporal, o direito ao mais alto padrão possível de saúde e liberdade de expressão. 

As experiências de prazer sexual humano são diversas e os direitos sexuais garantem que o prazer seja uma experiência positiva para todos os envolvidos e não obtida pela violação dos direitos humanos e do bem-estar de outras pessoas.

Neste espaço vamos aprofundar vários tipos de prazer sempre “saboreados” nos limites da prudência e desta forma não sacrificar a saúde do corpo e a serenidade da alma.